Pai , que eles possam impedir a derradeira notícia !

 
     
 

OS HUMANOS NÃO SOUBERAM CUIDAR DO PLANETA

 
     
 

A natureza entristeceu.

 
     
 

O verde foi desaparecendo vezes e vezes mais a cada dia.
Acabaram-se as florestas.
As flores relutaram, mas foram vencidas
em vasos de porcelana, de barro, de gesso.

 
     
 

Os animais buscaram algum último desesperado
meio de manter suas espécies.

A última espécie desapareceu.

 
     
 

Secaram os rios, morreram os peixes,
perderam-se as praias.
O mar, solitário, desistiu

 
     
 

O céu recolheu a lua e todas as estrelas.
O sol se escondeu.

 
     
 

Poluição ... silêncio.

 
     
 

A vida chorou e ninguém percebeu:
não houve águas de chuva nem frescores noturnos.

 
     
 

Aves já  não dão piruetas no ar:
não há vento, não há luz.

 
     
 

Não há crianças nas ruas, não há mulheres grávidas,
não há homens férteis.

 
     
 

Não há velhinhos passeando em praças,
não há sombras de árvores, não há árvores.

 
     
 

A natureza morreu.

 
     
 

Chora , humano ! Chora !
Chora por último e chora melhor !
Chora da forma mais perfeita que tu puderes.
A lágrima é a água que te sobrou.

 
     
 
 

 
 

*Humancat*

No livro "Sorte é Prá Quem Quer"
Direitos Autorais Reservados
copyright ©2000

 
 
     

 

 

 
 

Atualizado em 22/07/2010