Naquela manhã de primavera,
bem no alto da colina,
deitada em relva verdejante,
senti-me personagem de Monet.
Trajava vestido esvoaçante,
chapéu com laço cor-de-rosa,
à sombra de frondoso e secular ipê.
Pequenas flores dançavam levemente,
com o sopro da brisa,
ao som melodioso de pássaros canoros.
Parecia um manto difuso e colorido
a descer pela montanha, invadindo vales.
O cenário era encantador!
Ali pensava como tem sido bela a minha vida!
Tão plena de experiências ricas,
Tão pródiga em dar e receber amor!
Súbito, negra nuvem surge e empana o azul do céu.
Embaça a paisagem límpida, aparentando estranho véu...
A Natureza toda se arrepia.
Célere, a tempestade se aproxima!
Levantei-me, cheia de pavor.
Saí daquela imagem turva, brumosa.
Pelas cordilheiras, adiante, voei,
livre qual um condor.
A procela não me pega!...
Despertei.

 

 

 
 

Todos os Direitos Reservados

 

 

 

 

 
 

14/08/2010

 

 

 

 Música: Através dos Olhos - Composição do Maestro José Carlos Capeto