Para visualizar em tela cheia, tecle F11

 

 

 

 

 

 

 

Se eu fosse apenas uma rosa,

com que prazer me desfolhava,

já que a vida é tão dolorosa

e não te sei dizer mais nada!

 

 

Se eu fosse apenas água ou vento,

com que prazer me desfaria,

como em teu próprio pensamento

vais desfazendo a minha vida!

 

 

Perdoa-me causar-te a mágoa

desta humana, amarga demora,

de ser menos breve do que a água,

mais durável que o vento e a rosa...

 

 

 

Todos os Direitos Reservados

1901-1964

 

 

Atualizada em 12/07/2010