Para visualizar em tela cheia, tecle F11

 

 

 

 

 

 

 

Ah!... dispois de tântu amô

Di tantu bêju gostôsu

di tanto chêru cherôsu

Nóis briguemu 

 

 

Foi uma briga fatár

Ela disse: -Acabô

Eu disse: - Isso mermo.

Acabô-si tudu

I nóis fiquêmo mudo - 

Sem vontádi di falá 

 

 

I, na hora da partida 

Nem siqué si oiêmo

I nus xinguêmo,

cumu si podi xingá: 

 

Aba de caruru!!!

Mandinga de sapo seco!!! 

Eu dissi: 

- ocê vai pru norte

i eu pru sur 

 

 

Nunca mais queru ti vê 

Nem nutíça queru tê

Eu juro pur Deus 

Nem pintada di carvão 

du fundu du quintar 

 

 

I, si cuntigu eu sonhá

Levântu i façu trêis cruiz

É cruiz, é cruiz, é cruiz

U Brasir é mutcho grandi

Dá bem pra nóis separá 

 

 

Ela deu um saluço 

i eu, má umêno, tumém 

 

 

I, ói, larguei u pé nu mato

Passô tantu tempu 

Qui nem é bão relembrá 

 

 

Onti nóis si incontrêmo 

Ninguém tentô disfarçá 

Parti pra riba dela

Chêiu di fogo nu oiá 

I ela mi deu um arrocho 

qui, si fosse um cabra froxo 

Tava aqui em dois pedaçu 

 

 

Aí, foi tantu bêju gostôsu

Tantu chêru cherôsu 

Qui nóis alembrêmo

Cumu u Brasir é piquênu

I num dá pra nus separá!

 

 

 

Todos os Direitos Reservados

 

Atualizada em 13/07/2010