Para visualizar em tela cheia, tecle F11

 

 

 

 

 

Esta é a alegre janela namorada,

Onde a meio ela à noite se reclina:

Eis o vaso com flores, a estimada

Violeta roxa, a dália purpurina...

 

 

Esta odorosa essência delicada

Vem desta móvel planta peregrina,

Que o muro vinga, o peitoril domina,

Em torsa, aérea, caprichosa escada.

 

 

Quando a lua aparece, alva e brilhante,

Parte a primeira pérola mimosa

Destes vidros no fúlgido diamante:

 

 

E a alma aqui se extasia e sonha e goza,

Vendo oscilar na câmara elegante

Das cortinas a sombra vaporosa.

 

 

 

Todos os Direitos Reservados

 

 

 

 

Atualizada em 11/07/2010